El Tango de Roxanne

3 12 2011

Will drive you,

Will drive you,

Will drive you, MAD! Roxanne, You don’t have to put On that red light.

Walk the streets for money,

You don’t care if It’s wrong or if it is right.

Roxanne, You don’t have to wear That dress tonight.

Roxanne, You don’t have to sell your Body to the night.

His eyes upon your face,

His hand upon your hand,

His lips caress your skin,

It’s more than I can stand!

Roxanne

Why does my heart cry?

Roxanne

Feelings I can’t fight,

You’re free to leave me, But just don’t deceive me And please,

Believe me when I say, I love you.

(Spanish dialogue)

Y yo que te quiero tanto, ¿qué voy a hacer?

Me dejaste, me dejaste

El alma se me fue, se me fue corazón,

Ya no tengo ganas de vivir,

porque no te puedo convencer que no te vendas Roxanne

Roxanne

Why does my heart cry?

You don’t have to Put on that red light.

Feelings I can’t fight.

You don’t have to wear That dress tonight. Roxanne,

Why does my heart cry?

You don’t have to put on That red light.

Feelings I can’t fight

You don’t have to wear That dress tonight Roxanne Roxanne Roxanne

Roxxxxannnnnnee!

Artist: Ewan McGregor

Ah, e olha isso http://www.youtube.com/watch?v=cx5H-49dgvo video fantástico… to viciada nessa musica!

Anúncios




Revisitando

1 12 2011

Bah, depois de muito tempo sem vir aqui, vim e vi  o video do post anterior…. assisti de novo, pela enesima vez e sempre fico toda arrepiada no final… tri loco. e essa musica tbm, me arrepia!

Bueno, nao lembro aonde parei aqui, mas tanta coisa ja aconteceu. Casei, estou na faculade, estou indo pro Brazil com o benhe pro Natal, vamos voltar pra ca logo depois do primeiro do ano…

A Ada teve uma filha, minha afilhada Maria Eduarda, que eh uma gatinha!

Eu estou bem, ja engordei, ja emagreci, estou malhando e agora sou uma corredora. 3 milhas diarias… tem ajudado com o stress e ansiedade…

e acho que isso eh tudo!





Grey’s Anatomy

5 11 2010

Sou uma viciada em Greys, e minha personagem favorita é Cristina Young (vivida por Sandra Oh). Adoro ela, adoro a história dela, hoje no youtube vi um video fantástico hiper criativo, não da pra perder.

Não tem nada a ver com a história real da série mas tem umas pegadas incríveis, hiper intenso. E a música é perfeita… o cara encaixou direitinho o “you don’t have to wear that dress tonight” , completamente show, o fim é perfeito.

Check it out: http://www.youtube.com/watch?v=JcoXPiYtdLE





Solidão

3 08 2010

Esse título parece meio depre.. talvez seja, mas é uma depressão de um longo tempo atrás, que talvez ainda continue um pouco latente, porém mais compreendida.

Durante toda a minha vida me senti sozinha, e procurei a solidão. Quando menina passava as tardes brincando solitária com minhas bonecas, fui uma criança extremamente calma, a ponto de dormir no meio dos brinquedos, a ponto de a família não perceber que eu estava em casa. Sempre quando encontro as tias ou a minha própria mãe, e quando lembramos de minha infância, o comentário clássico é : “a Flávia era tão quietinha que nem parecia que tinha criança em casa, ela brincava sozinha, não dava trabalho nenhum” . E assim eu cresci, brincando, sonhando sozinha. Tenho dois irmãos, e nem por isso fiquei mais acompanhada. Depois na adolescência encontrei amigos queridos, e até mais uma irmã, que me fizeram companhia por um tempo, mas logo cada um de nós seguiu o seu rumo.

Eu sempre procurei a distância, primeiro fui pro Espirito Santo, depois São Paulo, Porto Alegre, voltei pra São Paulo. Primeiro eu achava que era uma fuga, mas eu não entendia do que eu estava fugindo, até que me dei conta, que isso nunca foi uma fuga, apenas um movimento pra tornar o meu sentimento congruente. Como alguém se sente sozinha quando esta rodeada de amigos e família? Por isso eu fui pra longe, para me sentir sozinha literalmente, e poder reclamar por isso, poder chorar por isso, e ser compreendida. Por que é imcompreensível e até inaceitável que alguém com todo mundo em volta se sinta só!

Hoje eu continuo na batalha, estou aqui no USA com meu amor, mas cada instante que ele está fora eu me sinto só, e quando ele está junto sinto falta da família.

Talvez eu não tenha me sentido cuidada, talvez eu sinta falta das pessoas na minha volta, mas não porque só estão ali, mas porque estão ali por mim. Talvez porque eu tenha sido essa criança tão calma que não exigiu cuidados, agora eu sou essa adulta com transtorno de ansiedade que exija os maiores cuidados.

As vezes é difícil ser eu, mas em nenhum momento eu queria ser outra pessoa.





20 07 2010

Acabei de lembrar! A mãe do Thomas mora em Pitanga-PR.





Brasileirinhos pelo Mundo

20 07 2010

Como minha memória não passa de uma vaga lembrança, eu não sei se já comentei aqui sobre o Thomas, meu amigo brasileiro fajuto. Conheci o cidadão no onibus, agente se encontrava todo dia, e eu sempre ficava olhando pra ele pq ele ia de bike, pendurava a bike no busão e desembarcava no mesmo ponto que eu. Também ficava olhando porque ele é estremamente ruivo, magricelo e com cara de Bart Simpson, o que me lembra muito o meu primo adorado Bruno. Então um dia o cidadão veio falar comigo, ele me comprimentou e começou uma conversa em inglês, na época eu estava no início do curso e não dava pra bater papo, então eu já logo larguei, ” My English is terrible, I’m Brazilian…” no que ele caiu na gargalhada e começou a falar português, um português muito cômico e com sotaque de interiorrrrr. O cara é filho de uma brasileirissima paranaense com um americano, a mãe dele agora está morando de novo no Brasil, e ele morou um ou dois anos lá também! em uma cidadezinha do interior paranaense (que é óbvio que não lembro o nome). Depois disso todos os dias batiamos o maior papo no busão, ele fala quase igual ao meu primo Bruno, o que me fez gostar ainda mais dele. Aí um dia eu falei que não iria mais pegar o busão pq estava mudando de endereço, então trocamos e-mail e tals e no fim do papo ele falou ” muito legal conhecer vc, Poh, vc é muito pasta!!!!”  ao que eu olhei pra ele com cara de interrogação e perguntei “eu sou o que?” , ele: ” vc é pasta, não é assim que chama quando a pessoa é muito legal?” …. huahuahua…. “não!!! é massa!!!!!!!” ….  ele: “ah… eu sabia que tinha a ver com macarrão!”

Então agora eu só chamo meu amigo Thomas de pasta, é claro!

O Marcio teve um colega filho de brasileira com americano tbm no antigo trabalho, o Joshua, gente fina, fala legal o portugues com um sotaque baiano (ele jura que é baiano, mas na real ele nasceu na Florida e só foi pra Bahia quando já tinha 25 anos).

Agora o novo colega é o Max, nasceu aqui, mas a mãe é gaúcha Tchê! e o pai de Niterói! Brasileirissimos!!!! O cara é completamente americano com cara de americano e tudo, o que ele deve a mãe gaúcha, fala legal o português, o que é engraçado não é o sotaque é a altura, ele fala tri alto, parece que tá gritando… hilário!

Tem alguns brasileiros tbm na escola, mas não me dou com eles, são os mauriçolas e patriçolas que eu definitivamente não vou com a cara, sou uma brasileira gente boa, retardada, faisca atrasada, palhaça, gosto de me vestir igual uma debiloide, ate hoje sinto falta do meu kelme preto, e sempre que posso uso o meu bom e velho all star com um jeans desbotado e camiseta… essa sou eu, não tenho nada a ver com aquelas gurias e guris bombadinhos com sotaque de carioquinha nojento da gema… to fora, quando passo por eles faço de conta que sou Uruguaia , afinal sou de Uruguaiana …. huahuahua… comparação ridícula!

Mas hoje de tarde tive um orgulho imenso de mostrar minha brasilidade, estavamos batendo um papo legal, Myrian (francesa), Gosha (Polaca) e Sergio (Uruguaio) , e começamos a falar de música, meu queixo arrastou no chão quando eles começaram a cantar o boi bumbá ” bate forte o tambor….” , depois dessa veio Beto Barbosa e muita lambada eh lambada ah….  O Sergio tinha no IPod e colocou pra gente dançar e cantar e rir…. cara, nunca fiquei tão feliz de ouvir uma música brasileira na vida! A felicidade foi de ver gente de lugares tão diferentes conhecendo a nossa música, e o que é melhor é que é a música de raiz, aquela que agente curte até hoje mesmo que já seja velha e demodê!





glutonia e obediencia

29 06 2010

Hoje conversando com a Maninha descobri que fui salva de uma barbaridade porque sou uma menina muito obediente. Estavamos falando sobre o tanto de crianças que são abusadas sexualmente, que é horrível, ela estava dizendo que a metade das pessoas que fazem terapia em algum momento narram abusos, cometidos algumas vezes pelos próprios pais, outras por parentes, amigos ou estranhos. Foi aí que ela lembrou que quando eu tinha uns 5 anos, eu estava brincando na frente de casa, aí passou um homem e me chamou pra ir com ele passear, dizendo que iria me dar um sorvete, eu gulosa desde criança, já fiquei toda faceira, só disse pro moço que primeiro eu ia avisar a minha mãe, e fui correndo pra dentro de casa dizer pra mãe que ia “alí” com o moço tomar um sorvete, a mãe se alarmou e perguntou quem era esse moço e foi correndo pra frente de casa, mas o meu amigo do sorvete já tinha ido embora, acho que as intenções dele não eram muito boas…. Ainda bem que sou obediente e primeiro fui pedir pra minha mãe!

Mas essa história me levou a outra, eu já era um pouco mais velha, tinha uns 8 anos. O vizinho dos fundos, o André, estava de aniversário e a mãe dele fez uma festinha, então estava todos os amiguinhos, e o José Inácio (vizinho da frente), que a maninha era afim e acho que tbm era afim da maninha, tbm estava lá. Acredito que a maninha estava dançando com alguém e o guri ficou com ciúme então veio me chamar pra dançar, mas eu estava muito entretida com um pedaço de bolo, virei pro guri e disse, ” tu pode esperar um pouquinho? Eu primeiro vou terminar de comer meu bolo”

Boa menina!

Esqueci de adicionar a minha lista de comidas coisas mineiras, to louca de vontade de comer comida de festa junina, e os cri-cri e o minerão da mãe. Pra amenizar a saudade da comidinha brasileira fiz curau e bolo de milho (do milho fresco porque sou prendada). Ficou uma DILICIA!!!!!!!